quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Perseverança Dos santos


“Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar.” (Jo 10.28-29)

Essa doutrina em poucas palavras: “Uma vez salvos, salvos para sempre”.

Mas, alguém pode dizer: “Se é assim, podemos pecar à vontade.” A esses Paulo responde: “E daí? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei, e sim da graça? De modo nenhum! Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna;” (Rm 6. 15-22).

1. A Perseverança dos Santos e o seu significado

1.1. Diz respeito aqueles que foram eficazmente chamados e santificados (Fp 1.6; 1Ts 5.23,24)

1.2. Indica a impossibilidade do salvo cair do estado de graça (Jo 10.28,29; 1Pe 1.3-9)

2. A perseverança dos santos e a sua natureza

2.1. É garantida pela imutabilidade do decreto da eleição (Jr 31.3; 2Tm 2.19; Hb 6.17-20)

2.2. É desenvolvida no salvo mediante a ação da Trindade, a saber:

· livre e imutável amor de Deus Pai (Jo 3.16; Ef 1.4,5; 2Ts 3.3-5)

· A eficácia do mérito e a intercessão de Jesus Cristo (Rm 8.35-39; Hb 7.25; 9.12-15; 10.10,14)

· A permanência do Espírito e da semente de Deus neles (Jo 14.16,17; 1Jo 3.9)

2.3. É coerente com a natureza do pacto da graça (Jr 32.38-41; Hb 8.10-12)

3. A perseverança dos santos e o pecado

3.1. A perseverança dos santos não isenta o salvo das tentações (2Sm 12.9-13; Mt 26.70,72,74)

3.2. O que acontece quando os salvos cedem às tentações?

· Incorrem no desagrado de Deus (2Sm 11.27; Is 64.5-9)

· Entristecem o Espírito Santo (Ef 4.30)

· São privados das graças e do conforto de Deus (Sl 51.8,10,12)

· Experimentam o sofrimento (Sl 323,4; 51.8)

· Prejudicam e escandalizam os outros (2Sm 12.14)

· Atraem sobre si juízos temporários (2Sm 12.10,14,15; Sl 89. 30-33)7.