quinta-feira, 31 de maio de 2012

terça-feira, 29 de maio de 2012

Sobre Pastores e Lobos


Sobre Pastores e Lobos
Pastores e lobos têm algo em comum: ambos se interessam e gostam de ovelhas, e vivem perto delas. Assim, muitas vezes, pastores e lobos nos deixam confusos para saber quem é quem. Isso porque lobos desenvolveram uma astuta técnica de se disfarçar em ovelhas interessadas no cuidado de outras ovelhas. Parecem ovelhas, mas são lobos. No entanto, não é difícil distinguir entre pastores e lobos. Urge a cada um de nós exercitar o discernimento para descobrir quem é quem.
Pastores buscam o bem das ovelhas, lobos buscam os bens das ovelhas.
Pastores gostam de convívio, lobos gostam de reuniões.
Pastores vivem à sombra da cruz, lobos vivem à sombra de holofotes.
Pastores choram pelas suas ovelhas, lobos fazem suas ovelhas chorar.
Pastores têm autoridade espiritual, lobos são autoritários e dominadores.
Pastores têm esposas, lobos têm coadjuvantes.
Pastores têm fraquezas, lobos são poderosos.
Pastores olham nos olhos, lobos contam cabeças.
Pastores apaziguam as ovelhas, lobos intrigam as ovelhas.
Pastores têm senso de humor, lobos se levam a sério.
Pastores são ensináveis, lobos são donos da verdade.
Pastores têm amigos, lobos têm admiradores.
Pastores se extasiam com o mistério, lobos aplicam técnicas religiosas.
Pastores vivem o que pregam, lobos pregam o que não vivem.
Pastores vivem de salários (dignos), lobos enriquecem (inexplicável e absurdamente).
Pastores ensinam com a vida, lobos pretendem ensinar com “discursos”.
Pastores sabem orar no secreto, lobos só oram em público.
Pastores vivem para suas ovelhas, lobos se abastecem das ovelhas.
Pastores são pessoas humanas reais, lobos são personagens religiosos caricatos.
Pastores vão para o púlpito, lobos vão para o palco.
Pastores são apascentadores, lobos são marqueteiros.
Pastores são servos humildes, lobos são chefes orgulhosos.
Pastores se interessam pelo crescimento das ovelhas, lobos se interessam pelo crescimento das ofertas.
Pastores apontam para Cristo, lobos apontam para si mesmos e para a instituição.
Pastores são usados por Deus, lobos usam as ovelhas em nome de Deus.
Pastores falam da vida cotidiana, lobos discutem o sexo dos anjos.
Pastores se deixam conhecer, lobos se distanciam e ninguém chega perto.
Pastores sujam os pés nas estradas, lobos vivem em palácios e templos.
Pastores alimentam as ovelhas, lobos se alimentam das ovelhas.
Pastores buscam a discrição, lobos se autopromovem.
Pastores conhecem, vivem e pregam a graça, lobos vivem sem a lei e pregam a lei.
Pastores usam as Escrituras como texto, lobos usam as Escrituras como pretexto.
Pastores se comprometem com o projeto do Reino, lobos têm projetos pessoais.
Pastores vivem uma fé encarnada, lobos vivem uma fé espiritualizada.
Pastores ajudam as ovelhas a se tornarem adultas, lobos perpetuam a infantilização das ovelhas.
Pastores lidam com a complexidade da vida sem respostas prontas, lobos lidam com técnicas pragmáticas com jargão religioso.
Pastores confessam seus pecados, lobos expõem o pecado dos outros.
Pastores pregam o Evangelho, lobos fazem propaganda do Evangelho.
Pastores são simples e comuns, lobos são vaidosos e especiais.
Pastores tem dons e talentos, lobos tem cargos e títulos.
Pastores são transparentes, lobos têm agendas secretas.
Pastores dirigem igrejas-comunidades, lobos dirigem igrejas-empresas.
Pastores pastoreiam as ovelhas, lobos seduzem as ovelhas.
Pastores trabalham em equipe, lobos são prima-donas.
Pastores ajudam as ovelhas a seguir livremente a Cristo, lobos geram ovelhas dependentes e seguidoras deles.
Pastores constroem vínculos de interdependência, lobos aprisionam em vínculos de co-dependência.
Os lobos estão entre nós e é oportuno lembrar-nos do aviso de Jesus Cristo: “Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são devoradores” (Mateus 7:15).
(Osmar Ludovico)

Show da Língua Portuguesa


Show da Língua Portuguesa
Um homem rico estava muito mal, agonizando. Pediu papel e caneta. Escreveu assim:
“Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres”.
Morreu antes de fazer a pontuação. A quem deixava a fortuna? Eram quatro concorrentes.
1) A irmã fez a seguinte pontuação:
“Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres”.
2) O sobrinho chegou em seguida. Pontuou assim o escrito:
“Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres”.
3) O padeiro pediu cópia do original. Puxou a brasa pra sardinha dele:
“Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres”.
4) Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta interpretação:
“Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres”.
Moral da história:
A vida pode ser interpretada e vivida de diversas maneiras. Somos nós que fazemos sua pontuação.
E isso faz toda a diferença.
(Autor Desconhecido)

Abração


Abração
Minha amiga trabalha em um brechó de um hospital, como voluntária. Certo dia, adentrou na loja uma certa senhora bastante obesa, e de cara a minha amiga pensou que não tinha nada na loja na numeração dela. Se sentiu apreensiva e constrangida naquela situação, vendo a senhora percorrer as araras em busca de algo que minha amiga sabia que ela não encontraria.
Ficou angustiada, porque não queria que a senhora se sentisse mal pelo tamanho das peças de roupas, se sentindo excluída e fazendo a questão sobre o seu sobrepeso vir à tona de forma implícita.
Naquele momento, minha amiga orou a Deus e pediu que lhe desse sabedoria para conduzir a situação evitando que a cliente se sentisse excluída ou humilhada na sua autoestima.
Foi quando o esperado aconteceu. A senhora se dirigiu à minha amiga e disse tristinha:
- “É..  não tem nada grande, não é”?
E a minha amiga, sem até aquele momento saber o que diria, simplesmente abriu os braços de uma ponta a outra e lhe respondeu:
- “Quem disse??? Claro que tem!! Olha só o tamanho desse abraço”! - E a abraçou com muito carinho.
A senhora então se entregou àquele abraço acolhedor e deixou-se tomar pelas lágrimas exclamando:
- “Há quanto tempo que ninguém me dava um abraço”.
E chorando, tal qual uma criança a procura de um colo, lhe disse:
- “Não encontrei o que vim buscar, mas encontrei muito mais do que procurava".
E naquele momento, através dos braços calorosos de minha amiga, Deus afagou a alma daquela criatura, tão carente de amor e de carinho.
Quantas almas não se encontram também tão necessitadas de um simples abraço, de uma palavra de carinho, de um gesto de amor.
Será que dentro de nós, se procurarmos no nosso baú, lá nas prateleiras da nossa alma, no estoque do nosso coração, também não acharemos algo “grande” que sirva para alguém?
(Autor Desconhecido)

27-05-2012 - Culto das Chaves na Presbiteriana de Nova Era - MG

Culto especial de encerramento do Mês da Família. Famílias unidas e reunidas na grande Família da Fé. Uma noite abençoada e abençoadora. Casas adorando juntas e testemunhando a presença de Deus de um modo tremendo na Igreja presbiteriana de Nova Era.





27-05-2012 - Culto das Chaves na Presbiteriana de Nova Era - MG

terça-feira, 22 de maio de 2012

PAZ


            O estado mais buscado ou desejado pelo homem. Ainda que você não saiba definir paz, uma coisa é indiscutível: VOCÊ QUER PAZ!
Quando se fala em paz, as pessoas pensam em campos verdejantes, roupas brancas, um estado de calma ou tranquilidade. Mas, como ter essa calma e tranquilidade se constantemente temos conflitos interiores?
Pensa-se muito em paz como uma ausência de perturbações, agitação. Se for assim, como teremos paz em um mundo tão frenético? Será que nunca teremos paz nessa sociedade tão alucinadamente acelerada?
O pensamento geral é o de que para haver paz é preciso, não haver violência, não haver notícias ruins, ter dinheiro, não haver contrariedade, estar tudo em absoluta perfeição na família e na sociedade... A lista das exigências humanas para a paz é tão grande que ela parece inatingível.
É importante frisar que não haverá paz entre as nações, paz social, se ela não existir em cada indivíduo para que se revele nos relacionamentos.
Paz é mais que um estado mental. É um estado espiritual. É por isso que não pode ser atingida por meio de drogas (comprimidos, bebidas, pó, pedra). É por isso que não pode ser alcançada por meio da busca desesperada por prazeres. O homem precisa de paz e não pode alcançá-la por si só. O homem não pode levar paz a outros homens por sua própria conta, pois não é capaz de conquistá-la por sua própria força.
Muitos pensam que encontrarão paz esvaziando-se de si mesmos, limpando a mente, ficando zen. Não é assim. A paz existe. A paz não é a ausência das coisas, antes é a presença de um “elemento” que transforma as coisas e a nossa condição. É por isso que a momentânea tranquilidade da yoga rapidamente se esvai quando você volta para a realidade cotidiana.
Depois de falarmos sobre o que a paz não é, temos que pensar sobre o que ela é.
A paz é um estado espiritual que transborda para um estado psicológico e se manifesta na vida do homem. A paz é ausência de guerra interior que só acontece quando temos paz com Deus. Como ter paz interior estando brigados com Deus? O pecado nos coloca em guerra contra Deus e só teremos corações tranquilos nos reconciliando com Deus. Não podemos nos reconciliar com Deus porque não podemos vencer o pecado e por consequência não há paz interior. Se não há paz interior nunca haverá paz inter-relacional.
O único modo de você encontrar paz é entregando sua vida ao “Príncipe da Paz”: a Jesus. Só Ele pode te reconciliar com o Pai, pois só Ele venceu o pecado e a morte. A Bíblia diz que “O Senhor dá força ao seu povo, o Senhor abençoa com paz ao seu povo” (Salmo 29. 11). A paz que você procura só pode ser encontrada em Cristo. A Paz que Êle pode te dar é maior do que a paz que você pode definir, ou seu coração pode sonhar. Pare de tentar convencer-se de que você não precisa de Cristo. Você está tentando do seu jeito e não está dando certo. Tente confiar em Jesus e você verá que a paz é possível, palpável, real e melhor do que você pensava.
Buda disse que “A paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta”. Paz é um estado interior, mas ela não vem de dentro de você. A fonte da verdadeira paz é o Senhor Deus. O doador da paz perfeita é Jesus. Não pode haver paz plena para você se, do alto, Deus não derramá-la. Buda errou. Ele sabia onde não procurar: “à sua volta”. Mas, ele não sabia onde procurar. Quando Jesus concluiu sua obra para nos salvar, Ele retornou para o Pai, para o céu, mas nos deixou uma promessa maravilhosa. Ele garantiu que o Espírito Santo cuidaria de nós de um modo especial (dos que creem NEle) e que teríamos a mais preciosa paz. Ele disse:
“Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo” (João 14. 27).
Jesus nos explica que o mundo até nos apresenta uma paz. É uma paz passageira, momentânea, efêmera, ilusória, que não se pode tocar. Mas, o mundo tem uma oferta de paz. Em contrapartida à paz desse mundo, Ele nos promete a verdadeira paz que o mundo não é capaz de dar. Opte pela paz de Jesus! O único modo de você ter paz de verdade é não tendo mais aflição, medo. A única maneira de você não viver mais com medo é provando do amor de Jesus. A Bíblia diz que “No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento (falta de paz); logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor” (1 João 4. 18). Para ser aperfeiçoado no amor, receber o perfeito amor, viver em amor, você precisa se entregar inteiramente a Cristo. Então você terá PAZ.
A paz de quem conhece a Cristo não é um esvaziar-se. Deixamos que o Senhor nos esvazie do mal para nos encher Dele, de Sua presença, de Seu Espírito. A paz de quem conhece a Cristo não se esvai com as circunstâncias ao redor. Em Cristo nossa paz permanece firme enquanto podemos ser instrumentos de transformação de nosso meio.
Nossa paz não consiste em não termos problemas. Ela advém da maravilhosa verdade de que temos relação íntima com Aquele que nos faz vencer todos os problemas.
Aceite a verdade de que você precisa de Cristo e que só Ele pode te dar paz. Receba em seu coração a Verdadeira Paz. O que vai acontecer em sua vida é aquilo que está poetizado em uma velha canção:
“Cada estrada em que eu andei
Eu pensei: daria certo.
Toda a terra em que habitei
Terminou em um deserto.
Quando Deus achou-me em trevas, disse: Haja luz!
Quando Deus achou-me em guerras, disse: Haja paz!
Quando Deus achou-me em negras nuvens de tribulações
Fez nascer um arco-íris no céu do meu coração.
Toda vez que eu tive sede, Ele deu-me de beber,
Água viva deu-me de beber”.


Juberto Oliveira da Rocha Júnior (Rev. Juba)
Nova Era (MG), 18 de maio de 2012.




quinta-feira, 3 de maio de 2012

Matéria: Lançamento do Livro “A Criatura aos Pés do Criador” de Juberto Oliveira da Rocha Júnior.



                Uma noite especial e emocionante em Nova Era (MG) com um evento cultural inigualável.
                Para mim foi marcante a noite de lançamento de meu primeiro livro “A Criatura aos Pés do Criador”. O livro contém poemas e outros escritos diversos que versam sobre os temas mais variados. Para saber tudo sobre a obra visite: http://acriaturaaospesdocriador.blogspot.com.br/
                O evento teve lugar no novo Templo da Igreja Presbiteriana de Nova Era (Rua dos Bandeirantes, 165 – Centro – Nova Era – MG), aos 28 dias do mês de abril, às 19h. 30m.
                O mestre de cerimônias fui eu mesmo e a solenidade teve um formato diferente do convencional para esses eventos. Cantamos e declamamos poesias intercaladamente. Algumas das canções entoadas são do CD “Velhinhos de Roupas Novas” que gravei ao vivo com a Presbiteriana de Nova Era e lançamos em 2011. Para saber mais sobre o CD “Velhinhos de Roupas Novas visite http://velhinhosderoupasnovas.blogspot.com.br/
                Tive a alegria de recitar poemas meus. Vi minha esposa Glêdes Geane recitando o poema “Despertar”. Minha primogênita, Tirza, declamou “Quadrinhas da Aninha”. Assistimos um vídeo que eu produzi do poema “Comunhão” (http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=c4XVBZApPJQ ).  Declamei “Falando de Amor” para minha esposa e agradeci por tudo que ela representa para mim. De improviso, cantei para ela uma música de amor. Maria Angela da Silva Santos (Mary) emocionou-nos com suas palavras. Mary é a revisora da obra e uma incentivadora vigorosa do projeto. Pude agradecê-la e o fiz de todo coração.
                Estiveram presentes irmãos e amigos preciosos para mim. Personalidades culturais da cidade também estiveram presentes tais como a escritora Nair Damásio, A escritora Rita de Cássia Moraes e o escritor Wudson Silva.
                Após a solenidade, que foi descontraída e emocionante, tivemos noite de autógrafos e um delicioso coquetel.
                Tenho que registrar minha gratidão a Igreja Presbiteriana de Nova Era. Vocês são maravilhosos. Há tantas pessoas para agradecer que prefiro não ser específico para não incorrer no pecado de esquecer alguém.
                O livro custa R$ 10,00 e pode ser adquirido por e-mail revjuba@ipb.org.br , pelos telefones (31) 3861-5325, Vivo 9855-7888, Oi 8714-0708, TIM 9138-2587, Claro 8442-4988 e Oi 33 (33) 8861-3510. O livro também pode ser adquirido diretamente com o autor na Igreja Presbiteriana de Nova Era.
                A Deus toda glória.


Juberto Oliveira da rocha júnior


Para conhecer mais sobre meu trabalho visite http://revjuba.blogspot.com.br/

Fotos do Lançamento do Livro A Criatura aos Pés do Criador do Rev . Juberto




28-04-2012 - Lançamento do Livro A Criatura aos Pés do Criador do Rev Juba


https://picasaweb.google.com/111396337128621522614/28042012LancamentoDoLivroACriaturaAosPesDoCriadorDoRevJuba?authuser=0&feat=directlink

Louvorzão em Dionizio - MG


Rev. Juba & Banda Alvo na Igreja Presbiteriana de Guanhães - MG