quinta-feira, 20 de agosto de 2009

COMUNHÃO NATURAL

Esses dias li o Salmo 104 e fiquei meditando sobre o que Davi nos traz de lições das coisas da natureza ( penso que pose-se dizer que Davi andou fazendo abstrações ).

O que andei pensando é que quanto mais próximo da natureza mais grato o homem é a Deus; quanto mais longe da natureza e mais atolados na modernidade e tecnologia, mais o homem se esquece de Deus.

Meus avós não conheceram ao Deus verdadeiro, contudo, eram gratos a Deus pois plantavam, adubavam, regavam e cuidava mas sabiam que não colheriam caso não viesse a chuva, caso as geadas queimassem as folhas, caso o sol não viesse no tempo serto. Agradeciam a Deus por cada colheita.

Já meus familiares que moram em grandes cidades vivem assim: Se querem frutas vão ao sacolão; Se vão as compras pagam com seu dinheiro fruto de seu trabalho. Não pensão na chuva, no sol, nas bênçãos de Deus. Sempre se gloriam de seu eu e nunca agradecem a Deus ( normalmente nem se ocupam em pensar em Deus ou em um deus ).

Precisamos nos lembrar de Ter momentos a sós com Deus em meio a natureza para que nos lembremos das coisas simples e da providencia de Deus. Pra nós fica o lembrete de que temos de nos cuidar ou então, pode se dar o caso de nos esquecermos de Deus em meio a evolução cultural.

Pode parecer ridículo mas pode ocorrer que um homem cheio de teologia p0ossa estar repleto de logia e vazio de teós.


Juberto O. da Rocha Jr
08 de setembro de 1998