quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Isto é bom, mas não pra mim[i]

Isto é bom, mas não pra mim[i]

Quebra-gelo – Que concentração!

Um dos requisitos mais importantes para uma boa apresentação é a capacidade de concentração. Peça a alguns adolescentes para lerem um texto. Peça aos demais participantes para testar a capacidade de concentração do orador para isso eles podem ser indisciplinados. Podem gesticular ou falar, mas ninguém pode se aproximar demais do orador e nem pode gritar.

Peça – Isso é bom, mas não pra mim

De vez em quando deixamos de aplicar os princípios bíblicos as nossas atitudes e atividades diárias, mas exigimos que os outros o façam.

Personagens:

Fabiana – uma garota a quem o pastor pede ajuda na realização de um projeto da igreja.

Valéria – amiga de Fabiana

Cenário:

Uma lanchonete da escola, antes da aula começar. Duas cadeiras

(Valéria está assentada, olhando distraída para algum lugar. Fabiana entra – pronta para a escola)

Fabiana – Valéria! Desculpe... não consegui me lembrar onde à gente tinha combinado de se encontrar.

Valéria – Tudo bem. Sente-se.

Fabiana – (senta-se) Acho ótima esta idéia de fazer um estudo bíblico de manhã, antes da aula, mas na hora de levantar cedo pra isso...

Valéria É, eu sei como é. (mostra pra Fabiana o livro de estudos bíblicos). Eu trouxe o livro de que falei.

Fabiana - Será que vale a pena começar o estudo hoje! É que a aula começa daqui a pouco. Não é melhor a gente fazer só uma oração?

Valéria – Acho que não. Nós combinamos que iríamos ler a bíblia.

Fabiana – (desanimada) É verdade, combinamos.

Valéria – Você não quer?

Fabiana – (não quer, mas responde meio vacilante) É... eu quero, sim...!

Valéria – Não está parecendo...

Fabiana – (pausa; fala meio relutante) É que... não é que eu não queira. Eu quero, sim. Mas... é que eu não estou muito legal hoje... eu tenho que esclarecer umas coisas.

Valéria – Qual é o problema, Fabiana? Eu fiz alguma coisa pra você?

Fabiana – Claro que não! Você é minha melhor amiga.

Valéria – Então o que é?

Fabiana – Silas Medeiros.

Valéria – O pastor Silas Medeiros? Você quer dizer o nosso pastor?

Fabiana – É; o próprio.

Valéria – O que é que ele fez pra deixar você tão chateada?

Fabiana – Hum... é que ele andou me perguntando sobre meu relacionamento pessoal com Deus. Onde já se viu!

Valéria – Tem razão Fabiana, - esta é uma pergunta muito pessoal.

Fabiana – É claro que é. E eu mal conheço esse pastor.

Valéria – Só dez anos.

Fabiana – Está bem; há dez anos... mas só faz dez anos que eu o conheço. Ele é o meu pastor, puxa vida! Isso não quer dizer que eu tenha que conhecê-lo... pelos menos, não o suficiente para que ele me faça uma pergunta dessas.

Valéria – Eu sei. (pausa) e aí, como vai o seu relacionamento pessoal com Deus?

Fabiana – Ora! Vai bem... bem mesmo. Eu vou à igreja todos os domingos e participo das reuniões dos adolescentes. Ele sabe disso. Eu sempre sento quase debaixo do nariz dele!

Valéria – Então qual é o problema?

Fabiana – Ele me pediu para ajudar num projeto de limpeza da igreja ou qualquer bobagem parecida. Eu não sei o que deu nele. Tem tanta gente tão mais... tão mais...

Valéria – Mais apropriada?

Fabiana – É, mais apropriada para este tipo de trabalho. Eu disse para ele: “porque o senhor não pede para a Marta Dias? Ela seria perfeita para esse tipo de trabalho.” Ele disse que já tinha pedido para ela e que ela tinha sugerido o meu nome. Eu não acreditei! Que atrevimento!

Valéria – Com certeza. Ela sempre foi muito atrevida.

Fabiana – Pensar que eu devia me envolver num projeto desses. Ela é uma encrenqueira, isso é o que ela é. Eu nunca gostei dela. Não sei como ela pode ir tanto à igreja e não se sentir tão culpada pelas coisas que faz.

Valéria – Eu sei exatamente o que você está querendo dizer.

Fabiana – Claro que no final das contas a ruim sou eu... eu não consegui pensar no nome de mais ninguém que pudesse ajudar.

Valéria – Não é fácil.

Fabiana – “Não é fácil” não é bem a palavra. “Impossível”... “impossível” é a palavra certa. Levo minha religião muito a sério, mas Deus ainda não me revelou que meu dom é o de limpeza.

Valéria – Eu já vi o seu quarto. Posso assegurar que não é.

Fabiana – E além disso... (para e pensa um pouco sobre o que a Valéria acabou de falar, mas deixa pra lá) é. Claro. Daí eu me senti como uma boba nesta história toda. Eu queria que os líderes da igreja aprendessem a ser mais cuidadosos e diplomáticos quando fossem nos pedir para fazer qualquer coisa.

Valéria – Imagine, então, eles pedindo para você fazer qualquer coisa!

Fabiana – Claro! Claro! Acho que só o fato de eu ter passado todos esses anos nos bancos da igreja, ouvindo os sermões do pastor, já vale alguma coisa.

Valéria – Deveria.

Fabiana – Pode apostar que vale. (pensa. Suspira aliviada) Puxa, Valéria, é tão bom poder desabafar. Agora já posso estudar a bíblia. O que vamos ler?

Valéria – Deixe-me ver... este livro de estudo bíblico diz que devemos ler Filipenses 2.1-4.

Fabiana – Por favor, comece.

Valéria – Tudo bem. “Se há, pois, alguma exortação em Cristo, alguma consolação de amor, alguma comunhão do Espírito, se há entranhados afetos de misericórdia, completai a minha alegria de modo de que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento. Nada façais por partidarismo, ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo. Não tenha cada um o que é propriamente seu, se não também cada qual o que é dos outros”. (pausa) Que palavras bonitas!

Fabiana – São mesmo. (pausa) Puxa, queria que alguém mostrasse esse versículo para a Marta Dias. Ela precisa ouvi-los.

Valéria – E se escrevêssemos estes versículos num papel e mandássemos para ela em uma carta anônima?

Fabiana – (dá uma risadinha maldosa) Será que dá certo?

Valéria – Nós colocamos na mochila dela durante o intervalo. (pegando os seus livros)

Fabiana – Está bem, Valéria. Mãos a obra!

Valéria – É o que devemos fazer.

Fabiana – Também, do que vale a Palavra de Deus se as pessoas não a aplicam em suas vidas? (saem)

Fim

Perguntas Para Discussão

· Qual é a sua reação para com as pessoas que agem como Valéria e Fabiana?

· Leia Tg 1. 22-25; Jo 14. 15; 1Jo 2. 3-6; Mt 7. 3-5. Qual é o problema com atitude de Fabiana e Valéria? O que você diria para ajudá-las a mudar?

· Você tem atitudes parecidas com a de Fabiana ou Valéria? Explique. E o quê você vai Fazer?

Atividade Recreativa

Jogo do Tipitar[ii]

O instrutor solicita que um, ou dois, voluntários se retirem da sala e então pede ao grupo que escolha um verbo qualquer. Em seguida, chama os voluntários de volta à sala, dizendo-lhes que o grupo escolheu um verbo que eles deverão descobrir. Para isso, deverão fazer perguntas aos participantes, mais todo o verbo deverá ser substituído pelo verbo tipitar. Ex.: “Você tipita?”; “É possível tipitar sozinho?”...

Os participantes, ao responderem, também deverão apenas utilizar o verbo tipitar, mais sem dar muitas pistas aos voluntários. A rodada termina quando o verbo for descoberto.



[i] O quebra-gelo e a peça foram extraídos de: “Peças Rápidas e Quebra-Gelos” de Chuck Bolte e Paul McCusker, Ed. Vida Nova

[ii] Do livro: “Dinâmicas Criativas para Escola Dominical e Igreja Local” de António Maurílio Guimarães. (Ed. Ephata).