quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Disciplina Eclesiástica

“Durante este século (XX) na maior parte do tempo, o cristianismo evangélico vem se concentrando na batalha pela pureza doutrinária, e deve faze-lo, mas estamos perdendo a batalha pela pureza moral. Temos pessoas com a teologia certa, vivendo de modo impuro.” (J. MacArthur Jr)

Como impedir que a impureza mundana penetre na Igreja?

· Somente Deus, através de sua providência sobrenatural, pode impedir que sua Igreja se deteriore moralmente (Ef 5.26);

· Jesus Cristo autorizou a liderança ordenada da Igreja que use a disciplina eclesiástica como um instrumento de combate ao pecado (Mt 18.15-17).

1. Jesus ordenou a disciplina

Mt 18.18; Jo 20.23.

O fôro intimo escapa a jurisdição da Igreja, mas, o fôro externo deve ser observado.

“Falta é tudo o que, na doutrina e prática dos membros e concílios da Igreja, não esteja de conformidade com os ensinos da Sagrada Escritura, ou transgrida e prejudique a paz, a unidade, a pureza, a ordem e a boa administração da comunidade cristã” (CD / IPB).

2. Resistências a disciplina

2.1. Argumento do amor

A disciplina eclesiástica é contrária ao amor.

Resposta: Rm 13.8-10; Hb 12.4-12.

2.2. Argumento de liberdade

A disciplina eclesiástica opõe-se a liberdade cristã.

Resposta: Jo 8.31-36; Tg 1.25.

2.3. Argumento da felicidade

A disciplina opõe-se a felicidade do cristão.

Resposta: Sl 1; Is 48.22.

2.4. Argumento do afastamento

A disciplina afastará as pessoas da Igreja.

Resposta: Sl 37.23-24; 1Jo 2.18-19.

2.5. Argumento da hipocrisia

A disciplina é um ato de hipocrisia, pois todos na Igreja são pecadores.

Resposta: 1Co 6.1-11; At 5.1-11.

2.6. Argumento da injustiça

A disciplina pode ser aplicada injustamente ou ser utilizada como instrumento de perseguição.

Resposta: Is 5.20,22; Mt 23.1-36.