quinta-feira, 20 de agosto de 2009

A Disciplina do Serviço


“Aprenda esta lição; se você tem de fazer o trabalho de um profeta, você precisa não de um cetro, mas de uma enxada”.- (Bernardo de Clairvaux)

Quem é o maior? – Lc 9. 46.

Sobre a discussão de quem é o maior Jesus dá o exemplo de serviço. – Jo 13. 14 e 15.

O serviço nos capacita a dizer não aos artifícios de promoção e autoridade do mundo.

O ponto não é que devamos abolir a liderança e a autoridade. Jesus redefiniu completamente a liderança e traçou as linhas de autoridade.

A autoridade para Jesus tem haver com função e não com status.

A lógica de Jesus é totalmente contrária às idéias falidas deste mundo – Mt 20. 25 – 28.

O serviço farisaico é prestado pelo esforço humano. O verdadeiro serviço brota de um relacionamento genuíno com o Pai. O serviço farisaico impressiona-mos com a “aparência”. O serviço verdadeiro acha quase impossível distinguir entre serviço pequeno e serviço grande. O serviço farisaico demanda recompensas exteriores. O verdadeiro serviço descansa contente no anonimato. O serviço farisaico escolhe minuciosamente a quem servir. O verdadeiro serviço não discrimina em seu ministério. O serviço farisaico é afetado por estados de ânimo. O verdadeiro serviço ministra simples e fielmente porque há uma necessidade. O serviço farisaico é temporário. O verdadeiro serviço é um estilo de vida. O serviço farisaico não tem sensibilidade. O verdadeiro serviço pode deixar de prestar o serviço tão livremente quanto executá-lo. O serviço farisaico fratura a comunidade. O verdadeiro serviço edifica a comunidade.

Serviço e Humildade

O serviço disciplina os desejos desordenados da carne, e nada como servir no anonimato para transformar os desejos da carne.

A uma grande diferença entre escolher servir e escolher ser servo. Quando escolhemos servir, estamos no comando. Quando escolhemos ser servos, Deus está no comando.