segunda-feira, 24 de novembro de 2008

O Álcool

Provérbios 23. 29-35
S- Proibição e Exortação – Pv 23. 19-21
T- Argumento do Insensato – Is 22. 13-14
Q- Ameaças aos Inescrupulosos – Is 5. 11-22
Q- Exortação a Vigilância – Rm 13. 12-14
S- Bebidas e Obras da Carne – Gl 5. 19-21
S- Cheios do Espírito – Ef 5. 18-21
D- As Dores dos Alcoolistas – Pv 23. 19, 20, 212, 29-35

Álcool, esse ladrão com autorização oficial, mata muitos milhares em nossas estradas a cada ano; incita as pessoas ao assassinato, ao suicídio e ao homicídio; ele coloca muitas pessoas atrás das grades, como maníacos delirantes. Shakespeare, assombrado exclamou em seus dias: “Ó Deus! Como os homens podem colocar um inimigo em suas bocas para roubar-lhes o cérebro?...”
Vivemos em uma época em que, apesar da grande luta contra o vício das bebidas, este vai atingindo mais e mais pessoas, envolvendo-as, escravizando-as e tornando-as dependentes, conduzindo-as a verdadeiras tragédias, quando não lhes rouba precocemente a vida.

1.Conhecer Para Combater
As bebidas alcoólicas são um dos maiores males do nosso século; Porém, poucos se dão ao trabalho de conhecer as causas desse mal e como esse líquido, tão útil em determinadas áreas da atividade humana, tem se constituído em desgraça para milhares de pessoas em todo o mundo.
É provável que a palavra álcool tenha se originado do árabe “alghole”, cujo significado é “espírito maligno”, possivelmente devido à situação deprimente a que é levado aquele que se deixa levar pelas bebidas.
As bebidas não são descoberta recente. Para se Ter uma idéia saiba que a cerveja já era fabricada a 3000 anos A.C.

Para Refletir
No Brasil o consumo de vinho é igual ao de leite e o de água ardente é maior do que o de leite. O Brasil é o maior consumidor de cerveja do mundo.

2.Efeitos do Álcool no Organismo Humano
a)Na Boca: sensação de queimaduras;
b)No Estômago: irritação da mucosa gástrica, provocando gastrite e úlcera;
c)No Fígado: órgão encarregado de eliminar substâncias toxicas do organismo – há um esforço excessivo, provocando alterações funcionais e lesões graves como hepatite aguda, cirrose hepática e até ascite (barriga d’água);
d)No Pâncreas: Órgão que produz o suco pancreático e a insulina – o álcool pode provocar a pancreatite aguda;
e)Nos Rins: pode provocar a nefrite crônica;
f)No Aparelha Genital: pode haver a perda de certas características sexuais além de afetar a descendência, podendo os filhos virem a nascer com debilidade mental, epilepsia e imbecilidade.
g)Sobre o Sistema Nervoso Central: inibe as funções do cérebro, afeta a memória e, as vezes, o juízo. Os órgãos do centido sofrem perturbação. Inflamação dos nervos. Fraqueza muscular...
h)O Coração: Alterações no rítmico, bloqueios, e até parada cardíaca.
Só pelos efeitos no organismo o álcool não deveria nunca jamais ser consumido.
E Tome Mais Efeitos:
Em pequenas doses:
1.Desenibição;
2.Euforia;
3.Perda de capacidade crítica;
Em doses maiores:
4.Sensação de anestesia;
5.Sonolência;
6.Sedação;
Uso Excessivo:
7.Náuseas,
8.Vômitos;
9.Tremores;
10.Suor abundante;
11.Dor de Cabeça;
12.Tontura;
13.Liberação de agressividade;
14.Diminuição da atenção, da capacidade de concentração, bem como dos reflexos;
15.O álcool destroi as células neurais – essas células não se regeneram.
16.
3.O Que Diz a Bíblia
O vinho era bebida importante na mesa dos filhos de Israel. Porém, a Bíblia em suas páginas constantemente adverte contra os perigos de seu uso.
Ec 10. 17 – “Feliz a nação onde os príncipes se reúnem para se alimentar e não para beber vinho.”
Is 5. 11, 22 – Severas conseqüências apresentadas com a expressão “ai”.
Pv 23. 20 e 21 – Um apelo incisivo, quase um clamor.
1Co 5. 11 – “...não vos associeis com alguém que dizendo-se for... beberrão...” a idéia é a de não estar junto, não participar,
Is 22. 13 e 14
Ef 5. 18
1ºTm 5. 23- Esse texto não dá brecha para se beber. Paulo indica o uso de vinho como remédio

Conclusão
Não encontramos na Bíblia um texto que nos diga: “não bebais vinho”, nem um que exija abstinência total. Porém, com o conhecimento que se tem dos malefícios do álcool e diante das advertências bíblicas sobre os perigos de seu uso, creio que o crente sincero não encontre nenhum motivo para beber.

Material Complementar

Um Pouco de História

Os primeiros indícios sobre o consumo de álcool pelo ser humano, segundo a arqueologia, datam de 6000 A.C.
Na mitologia, principalmente antiga, de muitos povos o álcool e tido como substancia divina. Talvez seja esse um dos fatores que contribuiu para que o hábito de beber se arrastasse ao longo do tempo.
Inicialmente as bebidas eram de baixo teor alcóolico pois só se produzia bebidas fermentadas. Na idade média os Árabes introduziram na Europa as bebidas destiladas.
A palavra whisky vem do gálico “usguebaugh” que significa “água da vida” – esse nome surgiu por que pôr algum tempo na Idade Média creu-se que as bebidas destiladas eram remédios já que faziam dissipar as preocupações bem mais rápido que o vinho ou a cerveja.

A Ciência é Quem Diz

O álcool é uma droga psicotrópica. Atua no sistema nervoso central provocando uma mudança no comportamento de quem a consome. Tem potencial para desenvolver dependência.

Álcool e gravidez

A mulher que consome álcool durante a gravidez vai prejudicar a saúde de seu filho. Mesmo que uma mulher não consuma álcool durante a gravidez mas consuma no período de amamentação ainda assim ela prejudicará a criança.
Uma criança concebida pôr pais alcoólatras (mesmo que só um dos pais o seja) terá probabilidades enormes de apresentar doenças genéticas.