sábado, 22 de novembro de 2008

CONVERTEU-SE POR SE TER ENGANADO DE EN¬DEREÇO

O pastor de uma Igreja Evangélica, ex-padre, contava como tinha acontecido a sua conversão a Jesus:
Quando padre, na cidade de São Paulo, fora chamado para "encomendar" um corpo de pessoa católica em deter¬minada rua da cidade. Subindo a rua, na primeira casa que viu um ajuntamento de pessoas, sem prestar atenção ao número do prédio, foi entrando. Começou a se preparar para fazer o seu trabalho. No entanto, tudo ali era diferen¬te. Ninguém estava chorando, cantavam hinos de louvor a Deus, enquanto prestavam a última homenagem ao morto. Alguém se aproximou do padre e disse:
- Seu vigário, não teria havido engano? nós somos cren¬tes!
- Mas eu fui chamado, respondeu o padre.
- O senhor deve estar enganado. Deve ser logo acima onde há um outro morto.
O padre para lá se dirigiu. Ao chegar percebeu muito choro, lamentação, gritos de desespero... Foi então que no¬tou uma grande diferença no modo de encarar a morte en¬tre um grupo e outro. Procurando saber a razão dessa con¬fiança, ele se converteu e tornou-se um grande obreiro até que foi chamado à Glória.
"Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor". "Mas de ambos os lados estou em aperto, ten¬do desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor" (Ap 14.13b; Fp 1.23).

Textos extraídos do livro: Ilustrações Selecionadas – Org. Aucides Conejero Perez, Rio de Janeiro, CPAD, 1985.