domingo, 23 de novembro de 2008

A Cor da Pureza

Em razão das drogas, um bebezinho negro foi abandonado por sua mãe em uma caixa de papelão que estava em um lixão próximo a sua casa. O bebezinho passou toda a noite chorando de frio, fome e pelas picadas dos insetos.
Na manhã seguinte, o caminhão do lixo chegou e enquanto um coletor carregava o lixo até o caminhão, o outro apertava o botão que prensava todo aquele lixo. Enquanto conversavam, o coletor de lixo pegou aquela caixa de papelão e colocou no caminhão. De repente, um grito: “Pare! Desligue a prensa! Eu ouvi um choro de bebê”. A partir deste instante, o bebê foi levado para o hospital e foi muito bem tratado.
Havia neste hospital uma assistente social branca, que se apaixonou por aquele bebezinho negro tão sofrido e desamparado. Tempos depois, ela conseguiu adotá-lo, embora já tivesse uma filha de 5 anos de idade.
O tempo passou... passou. e aquele bebezinho completou 5 anos. Num certo dia, ele estava brincando com sua irmã que já havia completado 10 anos de idade, quando, num certo momento, ela pegou nas mãos dele... olhou... olhou... e depois, olhou para a sua mão... olhou... olhou... e depois, colocou a mão dele sobre a mão dela e perguntou para o menininho:
- “Você tá vendo a sua mão em cima da minha”?
- “To sim”! respondeu ele.
- “Qual a diferença entre elas”? perguntou ela.
O menininho olhou pra ela, deu um sorriso e disse:
- “Ah, essa pergunta é fácil responder. Minha mão é menor”! A irmã sorriu e deu um beijo nele!
Você, que imaginou a resposta antes de ler, compreendeu A MORAL DA HISTÓRIA?


(Autor desconhecido)