sábado, 22 de novembro de 2008

LIBERTE ESTE INDIGNO

Visitando um presídio, certa autoridade ia perguntan¬do a cada um dos presos a razão da sua detenção. Cada um procurava provar que estava sendo injustiçado, mostrando-se inocente. Fez a mesma pergunta a um crente, e este respondeu:
- Estou aqui porque errei.
A autoridade chamou o encarregado do presídio e orde¬nou:
- Solte este homem, porque ele é indigno de estar aqui no meio de tanta gente boa.
"O que encobre as suas transgressões, nunca prospera¬rá, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia" (Pv 28.13).


Testos extraídos do livro: Ilustrações Selecionadas – Org. Aucides Conejero Peres, Rio de Janeiro, CPAD, 1985