sábado, 22 de novembro de 2008

A MORTE DO MAIS RICO

Um fazendeiro tinha um empregado crente, muito an¬tigo, em quem depositava inteira confiança, e que também era seu confidente. Certa manhã o patrão procurou o em¬pregado, e, triste, contou-lhe o sonho que tivera na noite anterior. Sonhara que um mensageiro de Deus lhe dissera:
-“Dentro de três dias morrerá o homem mais rico desta região”.
O seu temor estava justamente no fato de ser ele, o fa¬zendeiro, o homem mais rico da região .
Mas ao terceiro dia quem morreu foi o seu empregado de confiança, o crente.
"Há quem se faça rico, não tendo coisa nenhuma, quem se faça pobre, tendo grande riqueza" (Pv 13.7).