sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

O EGOÍSMO DO VIZIR



Um vizir, conhecido por sua usura, conversava aconselhando-se com um ulemá. Vivia inquieto o ministro e não se conscientizava do motivo de sua preocupação. Sabidamente o ulemá levou-o à janela, e, mostrando-lhe a rua, perguntou:
-Que vê o senhor?
-Vejo muita gente andando: homens, mulheres, crianas.
O ulemá colocou na janela, entre o vizir e a rua, um es¬pelho.
-E agora? O que vê o senhor?
-Vejo-me a mim mesmo - respondeu o vizir.
-É que entre o vidro da janela e o vidro do espelho exis¬te uma camada de prata. A prata impede que o Senhor veja os outros e faz com que se concentre em si mesmo.
"Senti as vossas misérias, e lamentai e chorai: conver¬ta-se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo em tristeza. Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará" (Tg 4.8-10).