terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Fé e Razão

Um lavrador, cristão convicto, foi convidado a uma festa na cidade grande.
Ao chegar no local, ficou impressionado com a beleza dos enfeites e com a quantidade dos alimentos disponíveis. Tudo parecia tão sofisticado para ele.
Ao iniciar o Buffet, as pessoas dirigiam-se rapidamente para o local e se serviam sem constrangimento. Serviram-se todos.
À mesa, antes de iniciar a refeição, o humilde lavrador colocou as mãos postas e deu graças a Deus pelo alimento. Um casal a sua frente, tentando ridicularizá-lo, perguntou-lhe:
“Na roça, ainda se faz assim antes das refeições”?
Ao que ouviram do matuto:
“Bem, nem todos. No meu curral quando solto as vacas para o pasto elas saem imediatamente pastando, sem qualquer cerimônia, o mesmo acontece com meus porcos e seus leitões, quando são servidos vão direto ao cocho”.
Ter um coração agradecido e expressar esta gratidão onde estiver, é sobretudo uma atitude de fé, não de tradição e costume. Só tem o privilégio de ter fé quem tem razão. Nenhum animal irracional tem capacidade de crer. Para nós seres humanos não ter fé é mais do que não ter costumes, é não ter razão.


(Autor Desconhecido)