segunda-feira, 8 de setembro de 2014

O USO DA VARA É COISA DO Antigo Testamento?


                Alguns argumentam que somente o Antigo Testamento fala de castigo físico. Para esses, na nova aliança, ou "época da graça", esta prática teria sido abolida por Deus. O livro de Provérbios, de fato, está recheado de referências ao uso da vara. Mas seriam esses argumentos válidos?
                Em primeiro lugar, não devemos particionar a Bíblia, a menos que ela própria nos dê provas de que certas coisas foram invalidadas, como por exemplo, o sacrifício de animais. Do contrário, nada deve ser descartado. Isso é uma tentativa de criar um canon dentro do canon, usando como motivação, valores mundanos atuais, inspirados por uma psicologia igualmente mundana. Usando esse método de interpretação, é possível acomodar a Bíblia aos padrões contemporâneos e força-la a concordar com qualquer coisa.
                Em segundo lugar, não é verdade que somente o Antigo Testamento fala da vara. Veja o que escreve o autor de Hebreus: " … e estais esquecidos da exortação que, como a filhos, discorre convosco: Filho meu, não menosprezes a correção que vem do Senhor, nem desmaies quando por ele és reprovado; porque o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe. É para disciplina que perseverais (Deus vos trata como filhos); pois que filho há que o pai não corrige?" (Hb 12.5-7). Nesse texto, Deus se revela como um pai que usa a vara (açoite) com o objetivo de disciplinar seus filhos. Esses filhos (nós), por sua vez, não devem murmurar por causa da disciplina, já que ela é prova tanto de amor quanto de verdadeira paternidade. Se não há correção apropriada, a qual é descrita através do uso de castigo físico, o resultado é um filho que não se porta como filho e nem honra o pai com sua vida; ele se parece mais com um bastardo.
                É lógico que isso não tem nada a ver com espancar uma criança ou então humilhá-la publicamente. O lugar da disciplina é o nosso lar (ou o banheiro da igreja!), de portas fechadas; deve ser inclusive regada de oração e perdão.
                Cuidado para não se deixar enredar por argumentos ímpios. Por causa disso, nosso país se afasta dos valores cristãos a passos largos. Resista ao mundo sendo fiel à Palavra. Sua família agradece!


Rev. Fernando de Almeida