quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

A FÉ E A FAMÍLIA

A FÉ E A FAMÍLIA


“Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor.” (Josué 24.15)

Para os mais familiarizados com as Escrituras, este é um texto muito conhecido. É dos mais usados para se falar da fé no âmbito familiar. Havia mandamentos claros para o povo israelita orientando que ensinassem seus filhos a conhecer a Deus e servi-lo. Os pais deveriam aproveitar toda oportunidade e conversar com seus filhos sobre os mandamentos de Deus, estando em casa, ao viajar, pela manhã ao se levantar e à noite, antes de se deitar (Dt 6.7). Assim, ainda crianças, aprenderiam a temer a Deus e a viver conforme Sua vontade. Não há momento melhor para se ensinar coisas boas aos filhos do que em sua infância! Pois é quando, tudo que fazem, é aprender. E aprenderão! Seja o que é certo, seja o que é errado. Mas aprenderão! E os pais têm completa responsabilidade sobre isso!
Quando estudamos sobre gestão de pessoas, sobre liderança, aprendemos que um fator chave é o exemplo. A autoridade, o poder de influência de um líder, está em seu exemplo. Embora no âmbito empresarial a burocracia tente substituir o poder da influência pela influência do poder, na relação familiar jamais será assim. Os ensinos das Escrituras estão chamando nossa atenção sobre o papel e a responsabilidade dos pais, como líderes de seus lares. Cada vez mais esse aspecto de nossas vidas sofre agressão. Cada vez menos as famílias conseguem estabelecer vínculos e relacionamentos saudáveis. E os efeitos disso estão na sociedade. Não é apenas a sociedade que está fragilizando a família, a família também está fragilizando a sociedade. E cada vez menos a imposição, a dureza e a intolerância, ajudarão. Especialmente com filhos crescidos. Não é a presença de um “macho-alfa” que salvará a família, mas a de pais dignos, humanos, amorosos, éticos e tementes a Deus.
A vida adulta nos possibilita poder e autoridade e precisamos ser responsáveis com isso. Ao nos casarmos, aumentamos esse poder e autoridade, mas nem sempre percebemos o significado e o sentido disso. Temos dificuldades em lidar com nossas crianças, imagine com nosso adolescentes e filhos jovens! Precisamos orar mais por nós mesmos. Cada pai e mãe precisa buscar mais a Deus e rogar uma conversão genuína para si mesmo. Deve buscar mais maturidade e saúde espiritual e assim ser capaz de influenciar seu ambiente familiar. Devemos orar por nossos filhos e assumir nossas responsabilidades a respeito das pessoas que estão se tornando. Não é a igreja que muda filhos, são os pais com seu exemplo e vida de fé. Precisamos ser pais melhores e assim ajudar nossos filhos a serem filhos melhores e depois, pais melhores. Em 2016, cuide melhor de si mesmo e de sua família. Assuma suas responsabilidades e autoridade. Aprenda a ser melhor em seu papel familiar. Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com você.



UCS

http://www.ibpc.org.br/wordpress/