sexta-feira, 29 de março de 2013

Jesus sai da sepultura



Jesus ficou pouco tempo no túmulo de José de Arimatéia. Seu corpo não chegou a apodrecer nem cheirar mal como o corpo de seu amigo Lázaro. Cerca de 36 horas depois de
morto, Jesus se pôs em pé dentro do túmulo. Ele não precisou levantar a pedra que tampava a entrada do túmulo. Do lado de fora já havia um anjo fazendo isso. Os anjos sempre estiveram a serviço de Jesus. Foram eles que lhe ofereceram comida depois de seu jejum de 40 dias e depois de Ele ser tentado pelo diabo. Foram eles que alegraram Jesus quando Ele estava tremendamente triste no Jardim do Getsêmani. Foram eles que avisaram Maria que ela seria a mãe de Jesus. Foram eles que avisaram José que Maria estava grávida por obra do Espírito Santo. Foram eles que fizeram aquela grande festa nos céus de Belém no dia do nascimento de Jesus.
Era de todo impossível que Jesus continuasse morto, pois Ele tinha todo o poder sobre a morte. Ele mostrou isso pelo menos em três ocasiões. Quando devolveu a vida à filha de Jairo, que havia acabado de morrer; quando devolveu a vida ao filho da viúva de Naim, cujo corpo estava sendo levado para o cemitério; e quando devolveu a vida ao irmão de Maria e Marta, cujo corpo já estava no cemitério. Agora, era a vez do próprio Jesus tornar a viver e sair do túmulo.
Várias vezes Jesus avisou que passaria pessoalmente pela experiência da morte. Mas todas as vezes que anunciava a própria morte, Ele anunciava também a sua ressurreição. Certa vez, Jesus fez uma comparação com a experiência de Jonas. Assim como esse profeta esteve três dias e três noites na barriga de um grande peixe e depois foi vomitado numa praia, assim Ele próprio estaria no interior da terra por três dias e três noites e depois sairia de lá.
O lugar dos mortos é o cemitério. Mas quando o morto torna a viver, o lugar dele já não é o cemitério. Foi isso que os anjos disseram às mulheres quando elas foram perfumar o corpo de Jesus naquele domingo bem cedo: “Por que vocês estão procurando entre os mortos quem está vivo?”
A partir daquele momento, Jesus se apresentou vivo com muitas e valiosas provas. Esse acontecimento mudou totalmente todos os discípulos por toda a vida.

(Elben César, Nem Tudo é Sexta Feira – E-book – pp. 29 e 30, Editora Ultimato, Viçosa, MG, 2013)