terça-feira, 27 de setembro de 2016

Poema: Aurora

Aurora
Juberto Oliveira da Rocha Júnior

Após o Criador dizer “haja luz”,
Há sempre aurora no firmamento.
Sempre que se vê a aurora
Ela traz grande alento.

Vai-se a noite, vem a aurora,
Anunciando o dia, a claridade.
Vão-se as trevas e a aurora traz
Claritude, verdade.

Deu-se a luz: a Aurora,
Há sete décadas idas.
E novo brilho surgiu
Transformando muitas vidas.

Hora áurea a da sua chegada,
Áureos dias os de sua vida.
Horas áureas, orações constantes,
Que trazem descanso das lidas.

Na aurora da vida, o sustento do Pai.
Muitas lutas, nem sempre glórias.
Agora, septuagenária,
A recompensa dos labores, a vitória.

“Logo vem o sol”, nos diz a aurora.
Aurora quer proclamar: “O Sol da Justiça brilha!”.
Repartir seu breve conhecimento e poesia:
Esta é sua nobre trilha.

Repartiu o conhecimento das letras,
Abrindo a tantos as portas do conhecimento.
Por via de peças , apresenta Jesus,
Apontando a Porta do eterno livramento.

E o Criador fez Aurora frutífera,
Abençoou seu matrimônio e posteridade.
Áurea aura, brilha aurora!
E Aurora é nosso tesouro, presente da Verdade.


            Poema composto em comemoração aos setenta anos de dona Aurora Sperber Corrêa


Clique aqui para ler em PDF